Meio de volta...

domingo, fevereiro 28

As flores,o jardim e tudo o mais.

Nada,nada era tão forte,nada me foi tão raro e tão caro,nada eu amei tanto...

Amei com tanta intensidade e paixão.E só o que eu me restou hoje foi lhe pedir desculpas.

Desculpa,pela aquela noite que não te beijei com mais força.Desculpas pela aquela viagem que fizemos e você queria ficar só mais meio dia e eu retruquei.

E hoje depois de tudo que passamos,hoje..hoje eu sei que fui feliz mesmo quando não lhe mimei todos os dias. Hoje eu vejo que valeu cada lágrima,cada sorriso e gargalhada que arranquei de você.

Você é meu fio condutor,meu meio ,meu começo e meu futuro..este amor não terá fim! Nunca! Jamais!!! Jamais vamos nos separar mesmo que a morte leve a um de nos dois estaremos iremediavelmente ligados um no outro...sempre juntos...

Nunca senti frio com você e do meu lado.Não teve tempo ruim.Não houve dias cinzas e se houveram dias cinzas você os pintou com seu enorme sorriso e seu jeito espalhafatoso de ser.

Falar de você é como olhar o céu imenso azul em sua plena luminosidade.
Sua pele seu cheiro....Você e o sol e eu o seu girassol...
Me encanto..eu amo...declaro..Amo você!

E uma promessa de amor um pacto de paixão dois corações: um amor.
Desculpe-me paixão pelos dias que dormir e você ficou acordada contando as estrelas.
Desculpe-me...

E venha agora se aconchegar em meu peito me deixe ouvir as batidas de seu coração junto ao meu .... deixei-me ser seu ombro,seu amor...sua paixão.

Ainda hoje depois de tanto tempo ainda me encanto ou vê-la sorrir,falar e mostrar a língua.

Amor,amor de paixão..bem guardado no meu coração...bem no fim da imensidão só existe eu e você...meu coração e o seu amor.

domingo, setembro 6

Tocando a Morte

Era uníssono . Um martelar de piano -tocava One -Metallica-
Tinha nas unhas esmaltes negros.Tocava com os olhos fechados estava nua.
A lua entrava pela porta principal do solar.
E iluminava os cabelos ruivos com mechas brancas.
Não sentia frio.Só a música.

Era assombroso vê-la assim.Era magnifico...
Parecia que todo o mundo se curvava a ela.
Os dedos ágeis a respiração que transcendia.
Chamava todos os dias pela morte.Ate que ela a encontrou tocando One.

Não sentiu o balé,nem a mordida.Sentiu o cheiro.A força e o poder que emanava daquele ser.

Agora tudo começaria a fazer sentido com força e violência.














quinta-feira, julho 2

Teatro Mágico - Todos enquantos [ÁUDIO OFICIAL]





Todos enquantos

Todos meus tantos são teus
Todos enquantos
Todos meus santos... ateus!
Desde quando nosso encantamento feneceu

Finjo-me anjo, orfeu!
Alivia o alvoroço
Com o cuidado teu

Diz quanto é tanto?
Eu não sei nem bem
Por onde procurar

Há um ledo engano
Em não querer ver
Que é dom: recomeçar!

Todos meus tantos são teus
Todos enquantos

Finjo-me drama... Romeu!

Faz de conta que ainda somos
Quem nos escreveu!

Torna-te quem tu és:
Canção
Clarão
Crescente
Transcender

Não arrisque crer na intuição que em vão
Nos faz desvanecer

sexta-feira, maio 29

Azucrinação em serie...Devaneios,Alucinação,Delírios,Amor e Loucura.

Devaneios

Rasgou meu rosto, colheu meus defeitos; 
mudou meu rumo e me perdi em devaneios...
me encantei.
Ah, as lágrimas da manhã me brotam nos olhos, me lavam, 
e minha alma se aninha em meu peito.
Vivo de janela  em janela, aguardando seus passos.
Ah, seu eu pudesse um dia 
tua camisa e teus braços tocar;
se debaixo da chuva eu pudesse meu corpo banhar
e um beijo seu roubar...
Por isso, morro de amor!
Desaninha minh’alma, encanta meus lábiows, 
sela meus lábios no encanto do teu beijo, 
embala em nuvens fofas este meu devaneio
para, então, o meu amor encontrar.

                                                      Alucinação.

As folhas secas, espalhadas pelo chão.
Afinal, era Outono.
Sonhos gastos e roupa surrada; o balanço se projetava para frente e para trás, 
como a brincar com crianças imaginárias.
Coração em lentas batidas e o olhar de volta aos céus;
Observo as nuvens e, num suspiro, eu me viro...
As nuvens não estão mais lá!

Delírios

Meu amor,
Eu tenho você
Em meus olhos,
Na ponta do meu olfato,
Na textura dos meus dedos,
No gosto da minha língua
No tremor do meu corpo,
Na minha mente intumecida, 
Na devassidão dos meus sonhos e
Na febre de minha solidão.
Eu o chamo, 
                                                                      Você não vem.



Amor

Porque amo o amor não se demora em pequenas rasuras.Ele se alonga se contorce,provaca gemidos de dor, entra por frestas,arestas,rasgos,talhos e pelos olhos...o amor nos busca,nos caça nos encontra as vezes envoltos em trevas,outras vezes de peito aberto e tantas outras vezes em lugares impróprios.
Ele nasce em corações de pedra, em espaços impossíveis, em sonhos  de meninas e no coração atormentado dos meninos. Ele e silencioso como a agua e nos invade nos anula.
Conhecemos o ceu,o chão e o inferno.
E porque amo o amor que vivo em quimeras de sonhos em loucuras em dias de devaneios em olhos abertos...mas as alucinações que carrego nas minhas pupilas me empurram de encontro ao amor.
Uns dias eu amo outros dias eu amo você também e de novo...



Loucura

O vento tremulava e batia na janela a febre alta corria pelo corpo, a sede, suor e a solidão.
Estava doente. Essa não seria primeira vez, ferido na mão, machucado na alma, coração morrendo todos os dias um pouco.
Ela o visitava em pensamentos ela nunca sairia de sua cabeça,estava tatuada na sua front,na alma, nas suas veias ela era seu opio.Um vicio.
Viver era um fardo, estar doente era a esperança da morte mesmo que lenta.
Aquele amor era uma maldição.
Ela o deixara,era ela quem fazia tudo ela era tudo!
Aquilo não era bom,aquilo o mataria- isso era o que todos falavam era o que todos sabiam era a certeza de todos.
O tremor era angustiante o remédio dançava na colher não conseguiu leva-lo a boca a raiva lhe tomou ,virou o vidro na boca sentiu uma vertigem e não viu mais nada.
Os pensamentos confusos,vozes,uma sirene,um solavanco um zunido.
- Você vai cair!!! Era quase um grito.
O sustou o projetou para frente suado,cabelo molhado,o suor o banhava,o grito e da queda engasgado a confusão mental,os olhos não reconheceram onde estava,os ouvidos o toque na pele ele olhou para traz e ela estava lá.
Doce,meiga,gentil a visão do amor.Ela voltou e estava ao seu lado,adormeceu agarrado as mãos dela.
Seu ultimo pensamento foi : - As não sabiam de nada !! Ela voltou para mim,para me salvar!!! Os pensamentos eram de paz,de esperança de amor.Adormeceu dormiu por tantas horas que não saberia contar
Quando acordou estava quente muito quente os olhos não se acostumaram a escuridão não conseguia se mexer –estava preso- gritou:
Ela ouviu os gritos. Sorriu. Louca.
-Vá em paz meu ,AMOR!
Havia flores no jardim,mas ninguém viu a cruz.